• bartri
  • bfibro
  • boste
  • bosteop

Gruparj Petrópolis realiza passeio para associados em parceria com SESC

DSC00864 Fotor Fotor Collage2

Na última quinta-feira(16/04) os associados do Gruparj foram ao Rio de Janeiro, um passeio organizado pelo SESC em parceria com o Gruparj Petrópolis. Quarenta associados visitaram o Parque Lage e o Centro Cultural do Banco do Brasil.

A primeira parte do passeio foi no Parque Lage, localizado na Zona Sul, antiga propriedade do industrial Henrique Lage, o espaço abriga o belo palacete da Escola de Artes Visuais. Além da visita à mansão em estilo eclético, a visita à gruta principal “Caverna da Cuca”, Aquário, Lavanderia dos Escravos, Lago dos Patos e o Parquinho completaram o passeio.DSC00642 Fotor Fotor Collage













Logo no início da tarde o passeio continuou no Centro Cultural do Banco do Brasil, todos tiveram a oportunidade de conhecer as galerias de artes e um pouco da história do local ‑ passando pela Galeria de Valores e sala que conta um pouco da História do Banco do Brasil através de mobiliários antigos.

O passeio foi finalizado na sala SE LIGA, uma exposição onde mais de 10 artistas apresentam diversos conteúdos de arte e ciência oferecendo um experiência de aprendizagem lúdica.

DSC00924 Fotor Fotor Collage

Mesmo com algumas limitações de locomoção os associados do Gruparj se mantiveram animados e aproveitaram cada minuto para se divertir, conhecendo novos lugares, apreciando a natureza, a arte e a história.

DSC00691 Fotor Fotor Collage

Além do passeio, os associados tiveram um delicioso almoço em Copacabana.


Gruparj Petrópolis participa de iniciativa internacional do Fit for Work em Brasília

IMG-20150324-WA0001

 Associações de Pacientes, Médicos e Especialistas em Trabalho e Qualidade de Vida se Unem para Lançar Iniciativa Fit for Work-Brasil.

 Meta:  Diminuir Impacto dos Distúrbios Musculoesqueléticos na Qualidade de Vida e Capacidade Produtiva do Brasileiro

Distúrbios musculoesqueléticos estão entre as primeiras causas de auxílios-doença e  aposentadorias precoces no Brasil. Iniciativa apresenta Carta Aberta à População com Recomendações

 

Com meta de contribuir para diminuição do impacto negativo dos distúrbios musculoesqueléticos (“DMEs”, categoria que reúne distúrbios que estão entre principais causas de auxílios-doença e aposentadorias precoces no país) sete organizações lançam no Brasil a iniciativa Fit for Work, criada na Europa em 2007, com coordenação da Work Foundation.  No Brasil, é liderada pela ABQV – Associação Brasileira de Qualidade de Vida, tem patrocínio da AbbVie, apoio do SESI – Serviço Social da Indústria e reúne entidades que representam médicos, pacientes e especialistas em trabalho e qualidade de vida. O lançamento foi durante seminário realizado em 17 de março, em Brasília, na presença de representantes das entidades participantes.

São considerados distúrbios musculoesqueléticos artrites (incluindo artrite reumatoide e espondiloartrites), dorsopatias (“dor na coluna”), entre outros, que juntos foram responsáveis por 18,7%  do total dos auxílios-doença concedidos em 2012, pelo Ministério da Previdência Social, além de representarem 26,4% do total de casos de invalidez precoce, a um custo estimado de R$ 405 milhões para a Previdência Social, no mesmo ano.

“O impacto dos distúrbios musculoesqueléticos só pode ser minimizado, de forma eficaz, com iniciativa multidisciplinar.  Pelos seus números, este já é um problema de saúde pública. Nossa meta é contribuir para o diagnóstico precoce e consequente tratamento adequado e promover a reabilitação e reintegração do paciente ao mercado de trabalho, com segurança e qualidade de vida”, afirma o médico Alberto Ogata, diretor técnico da ABQV – Associação Brasileira de Qualidade de Vida, que coordena a iniciativa Fit for Work Brasil.

Os distúrbios musculoesqueléticos compreendem processos inflamatórios e degenerativos de nervos, ossos, músculos, tendões, ligamentos, articulações, cartilagens e discos invertebrais, que podem resultar em dor e limitação funcional, sendo as regiões lombar, cervical, ombros e antebraço as mais afetadas. Apesar do impacto na vida e trabalho da população brasileira, muitos destes distúrbios ainda são desconhecidos da população brasileira.  Pesquisa IBOPE (Instituto Brasileiro de Pesquisa e Opinião Pública), realizada no Brasil, com 4000 pessoas acima de 16 anos, de áreas urbanas, entre outubro e novembro de 2013, mostrou que apenas 1/3 dos entrevistados conhecem as doenças desta categoria.  

As organizações que fazem parte da Fit for Work Brasil são signatárias de Carta Aberta à População,“Carta de Brasília”, que apresenta recomendações e alertas sobre os DMEs.  No documento, as entidades enfatizam necessidade de promover diagnóstico e tratamento precoce das doenças, para que a produtividade do paciente não seja prejudicada. Também, são apresentadas medidas que valorizam e disseminam a importância de reabilitar e reintegrar o paciente ao mercado de trabalho.

Carta de Brasília | Fit for work

Signatárias da Carta: Associação Brasileira de Qualidade de Vida – ABQV; Associação Nacional de Grupos de Pacientes Reumáticos – Anapar; Grupo de Pacientes Artríticos de Petrópolis – Gruparj Petrópolis; Associação Nacional de Medicina do Trabalho – ANAMT; Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação – ABMFR; Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão- SBCM; Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT; e Sociedade Brasileira de Reumatologia – SBR.

 A Fit for Work surgiu em 2007, na Europa, com coordenação da Work Foundation e apoio da AbbVie.  Hoje, está estabelecida em mais de 30 países.  Segundo estimativas da Work Foundation, por volta de 2020, os distúrbios musculoesqueléticos devem estar entre os mais danosos (de notificação não obrigatória) para a população mundial, por seu impacto na morbidade nas doenças relacionados, na perda da produtividade e na exclusão social de seus portadores.

Gruparj Petrópolis realizará seu primeiro Jantar de Gala Beneficente no Castelo de Itaipava

Jantar2

Após quatorze anos de trabalhos realizados nesta cidade, o Gruparj Petrópolis vai realizar seu Primeiro Jantar de Gala Beneficente, que acontecerá no dia 29 de maio, às 20h, no Castelo de Itaipava. A programação contará com a apresentação do DJ Mau, terá o buffet do Chez Cox Festas e deverá reunir cerca de 400 pessoas.

Promovido pelo Grupo de Paciente Artríticos do Rio de Janeiro em Petrópolis, o evento tem como objetivo fazer conhecido os desafios das pessoas com patologias reumáticas e arrecadar fundos para dar continuidade às ações que a instituição promove para o diagnóstico e tratamento precoce das doenças crônicas-degenerativas.

De acordo com Wanda Heloisa, presidente do Gruparj Petrópolis, a principal motivação em realizar um evento desse porte é fortalecer laços de amizade e incentivar a solidariedade para com as pessoas com doenças reumáticas que contam com as ações da instituição para viver com melhor qualidade de vida.

Para realização desse Jantar, a Instituição conta com o patrocínio e parceria do Castelo de Itaipava, Laboratório farmacêutico UCB, Laboratório Baffi, Cervejaria Itaipava, Vinícola Salton, Joalheria Ewiglich, Isa Drummond - Noivas e festas, Mr. Hugo, Ézio Philot | PhotógrafoMarcia Fontaine - Bem Casados, Ana Decorações, Chez Cox Festas, MEVentos Cerimonial e DJ Mau.

Os convites estão à disposição no valor de R$ 200 e podem ser adquiridos na sede do Gruparj Petrópolis – Rua Monsenhor Bacelar, 589 – Centro – ou entrar em contato pelos telefones 2242 8616 / 99217 5677.

Atividades

Atividades


  • Apoio psicológico
  • Apoio na área de Enfermagem / Nutrição
  • Consultas especializadas
  • Escola de postura
  • Encontro Médico-Social
  • Feira de Saúde
  • Hidroterapia e hidroginástica
  • Projeto de Prevenção da Osteoporose "Da Infância ao Idoso"
  • Projeto de Educação em Saúde para Portadores de Artrite
  • Projeto de Educação em Saúde para Portadores de Fibromialgia
  • Projeto de Capacitação em Artrite
  • Projeto Arte e Vida
  • Projeto Arte e Artrite
  • Oficina de Reabilitação
  • Oficina de Órteses
  • Oficina da Memória
  • Oficina de Relaxamento
  • Oficina de Leitura
  • Oficina de Aproveitamento Total de Alimentos
  • Oficina da Mão
  • Sessões Educativas - Palestras
  • Yoga

Artrite Reumatóide

O que é?

A artrite reumatóide é uma doença inflamatória crônica de origem auto-imune que acomete principalmente articulações sinoviais, causando dores, deformidades progressivas e incapacidade funcional.

interna 518

É uma doença muito freqüente, aproximadamente 10% dos problemas em articulações são devido à artrite reumatóide.

Com a progressão da doença, os indivíduos portadores de artrite desenvolvem incapacidade para realização de suas atividades tanto de vida diária como profissional, além da redução da expectativa de vida tanto em homens como em mulheres.

Apesar de ser uma doença sem cura, existem tratamentos eficazes para o seu controle, e muitos reumatologistas estão desenvolvendo estratégias terapêuticas mais poderosas e agressivas contra a artrite reumatóide.

Sintomas

Os sintomas iniciais da artrite reumatóide são:


  • Mal estar;
  • Febre baixa;
  • Suores;
  • Perde de apetite;
  • Perda de peso;
  • Fraqueza;
  • Humor deprimido ou irritado;
  • Dores nas articulações, na maioria das vezes de forma simétrica, ou seja, nos dois lados do corpo.

Com o tempo, os sintomas da artrite tornam-se mais acentuados:


  • Articulações com sinais evidentes de inflamação: dor, inchaço, calor, vermelhidão, rigidez mais intensa após despertar;
  • A inflamação acomete pelo menos três articulações;
  • Aumento dos gânglios;
  • Anemia;
  • Nódulos subcutâneos.

Qualquer articulação sinovial pode apresentar a inflamação da artrite reumatóide, as mais comuns são:


  • Mãos;
  • Joelhos;
  • Pés;
  • Cotovelos;
  • Ombros;
  • Têmporo-mandibular;
  • Coluna cervical.

As principais complicações da artrite reumatóide são:


  • Deformidades progressivas;
  • Perda de função da região acometida;
  • Desgaste das articulações (artrose);
  • Ruptura de tendões;
  • Instabilidade da coluna cervical.

Causas

A artrite reumatóide acomete homens e mulheres de todas as idades, porém é duas a três vezes mais freqüente em mulheres.

A maior incidência da artrite ocorre em pessoas entre 50 e 70 anos.

A doença artrite reumatóide é auto-imune, ou seja, é causada quando as células do sistema imunológico passam a atacar as juntas e articulações do próprio corpo. Esta reação auto-imune leva a inflamação progressiva dos tecidos que revestem as articulações causando danos em cartilagens, ossos, tensões e ligamentos próximos às juntas. Gradualmente a articulação perde sua forma e alinhamento, podendo até ser completamente destruída.

Diagnóstico

O diagnóstico da artrite reumatóide é feito pelo médico por meio de uma consulta com uma história e exame físico completos, que incluem busca de sintomas de atividade da doença, avaliação do estado funcional atual, evidências objetivas de inflamação articular, problemas mecânicos articulares, presença de comprometimento extra-articular e de lesão radiográfica.

O médico poderá solicitar exames complementares que incluem:

  • Hemograma completo;
  • Velocidade de hemossedimentação;
  • Função renal;
  • Enzimas hepáticas;
  • Exame qualitativo de urina;
  • Fator reumatóide;
  • AC. Anti. CCP;
  • Ultrassonografia ;
  • Tomografia Computadorizada;
  • Ressonância Magnética;
  • Análise do líquido intra-articular;
  • Radiografia das articulações das mãos, dos pés e das demais articulações comprometidas.

Tratamento

O diagnóstico precoce e o início imediato do tratamento são extremamente importantes para o controle adequado da artrite reumatóide, prevenindo a incapacidade funcional e lesão articular irreversível.

Em torno de 75% dos pacientes portadores de artrite reumatóide apresentam melhora quando são tratados com baixas doses de medicações durante o primeiro ano da doença, no entanto, pelo menos 10% dos pacientes apresentam pouca resposta, sofrendo incapacitação pela doença.

Os objetivos principais do tratamento são:


  • Prevenir ou controlar a lesão articular;
  • Prevenir a perda de função;
  • Diminuir a dor e maximizar a qualidade de vida.