Fibromialgia

O que é?

Fibromialgia é uma doença crônica caracterizada por dores difusas nos músculos, ligamentos e tendões; sensação de fadiga e cansaço; e pontos no corpo com sensibilidade aumentada.

dores-no-corpo-300x300

A fibromialgia é muito mais comum entre as mulheres e afeta em torno de 5% da população. É uma doença que inflige grande sofrimento físico e emocional, prejudicando o desempenho no trabalho e na vida social.

Apesar dos sintomas variarem, com períodos de maior e menor dor, eles nunca chegam a desaparecer por completo. No entanto, é importante salientar que a fibromialgia não é uma doença progressiva, nem letal. Diagnóstico correto, tratamento adequado e suporte podem melhorar em muito os sintomas desta doença, garantindo saúde e qualidade de vida.

Sintomas

Os sintomas da fibromialgia podem variar, dependendo do clima, estresse, atividades físicas ou até mesmo período do dia.

Os sintomas mais comuns da fibromialgia incluem:

  • Dor difusa. A fibromialgia é caracterizada por dor em regiões específicas do corpo quando pressionadas. A dor geralmente persiste por meses.
  • Dificuldade de movimento. Freqüentemente a dor é acompanhada por dificuldade de movimentar a região afetada, causando uma restrição do movimento completo.
  • Fadiga. A fibromialgia leva uma sensação de cansaço crônico, como se o corpo não estivesse completamente repousado.
  • Insônia ou sono não reparador. Os distúrbios do sono estão fortemente relacionados com a sensação de fadiga e cansaço, pois os portadores de fibromialgia carecem de um sono restaurador.
  • Intestino irritável. Constipação, diarréia, dor abdominal e gases são comuns em pacientes com fibromialgia.
  • Dor de cabeça e na face. A fibromialgia leva a cefaléia e dor facial, além de tensões na nuca e ombros. A disfunção temporomandibular, que afeta a mandíbula e os músculos próximos também é comum em pessoas com fibromialgia.
  • Sensibilidade aumentada. Sintoma comum é a sensibilidade aumentada ou intolerância a ruído, toque, luz ou odor.

Causas

As causas da fibromialgia vêm sendo investigadas com maior intensidade nos últimos anos. Até há algum tempo, pensava-se que a fibromialgia era apenas um componente psicológico que manifestava-se na forma de dor.

As pesquisas atuais apontam para um desequilíbrio na regulação da dor no sistema nervoso central como um dos fatores essenciais para o desencadeamento da fibromialgia.

Na fibromialgia existe uma desregulação nos neurotransmissores e neurorreceptores relacionados a dor, que tornam-se aumentados e hiper-reativos, fazendo com que sinais que não seriam considerados dolorosos passem a ser. Este processo é conhecido como sensibilização central a dor.

Outros fatores estão associados ao processo de sensibilização a dor, e incluem:

  • Distúrbios de sono;
  • Trauma ou lesões físicas em nervos e medula;
  • Infecções virais;
  • Anormalidades no sistema nervoso autônomo;
  • Lesões musculares;
  • Estresse psicológico.

Diagnóstico

Diagnosticar fibromialgia é difícil, pois não existe um exame laboratorial específico. Na maioria das vezes o paciente portador de fibromialgia já passou por diversos consultórios e realizou diversos exames que não chegaram a nenhum resultado que explicasse os sintomas.

O diagnóstico da fibromialgia é clínico, ou seja, realizado por um médico de acordo com a história e o exame físico do paciente. Os exames complementares são utilizados para descartar outras patologias, como artrite reumatóide, lúpus, esclerose múltipla, dor miofascial e até mesmo câncer.

A sociedade brasileira de reumatologia e colégio americano de reumatologia estabeleceram critérios para o diagnóstico de fibromialgia:

  • Dor difusa (espalhada pelo corpo) por pele menos 03 meses;
  • Sensibilidade aumentada a pressão em pelo menos 11 pontos específicos do corpo.

Tratamento

O tratamento da fibromialgia inclui medicamentos e medidas complementares. A ênfase está na redução dos sintomas de dor e na melhora da saúde de maneira geral.

Medicamentos:

  • Antidepressivos. Classes especiais de medicamentos antidepressivos são efetivas no tratamento da fibromialgia. As pesquisas mostraram que antidepressivos que atuam em serotonina e noradrenalina são os mais efetivos;
  • Anticonvulsivantes. Alguns medicamentos utilizados no tratamento de convulsões também se mostram efetivos no tratamento da fibromialgia. Dentre eles estão a carbamazepina, gabapentina e pregabalina;
  • Analgésicos. Medicamentos analgésicos podem ajudar no alívio da dor, são geralmente prescritos pelo médico de forma eventual e não como tratamento contínuo;
  • Relaxantes musculares. Estas drogas também são utilizadas de forma breve e não contínua. São eficazes para combater a dor e a tensão muscular;

Tratamentos complementares:

  • Exercícios. Atividades físicas, em especial os exercícios aeróbicos, são comprovadamente eficazes para reduzir as dores da fibromialgia e melhorar a qualidade do sono. Inicialmente os exercícios podem aumentar um pouco a dor, mas a prática regular alivia os sintomas;
  • Acupuntura. Esta técnica incorporada da medicina chinesa tem mostrado resultados positivos, tanto na redução dos sintomas de fibromialgia, como na redução do estresse;
  • Psicoterapia. A abordagem psicológica, em especial a psicoterapia cognitiva comportamental, auxilia no desenvolvimento de habilidades para lidar com a doença e manter uma atitude positiva;
  • Hipnoterapia. A sociedade brasileira de reumatologia reportou que sessões de hipnoterapia pode promover uma melhora significativa dos sintomas de pacientes resistentes ao tratamento convencional.