Por Dra. Gecilmara Salviato Pileggi

Coordenadora da Comissão de Doenças Endêmicas e Infecciosas da SBR

Fonte: Site Sociedade Brasileira de Reumatologia

É de consenso mundial a indicação da vacina influenza anualmente para pacientes com doenças reumáticas. Apesar deste conhecimento, estudos anteriores e atuais apontam para taxa de cobertura vacinal inferiores a 50% na maioria dos países. 

Pessoas de todas as idades são suscetíveis à infecção pelo vírus influenza, porém alguns grupos estão mais propensos a desenvolver formas graves da doença, dentre eles as pacientes doenças crônicas e imunossuprimidos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que cerca de 10% da população é infectada anualmente pelo vírus influenza e que 1,2 bilhão de pessoas apresentam risco elevado para complicações decorrentes da doença. Entre elas, 385 milhões de idosos acima de 65 anos de idade, 140 milhões de crianças e 700 milhões de crianças e adultos com alguma doença crônica. 

As vacinas influenza disponíveis no Brasil, trivalente ou quadrivalentes, são todas inativadas (de vírus mortos), portanto, sem capacidade de causar doença e sem restrições de uso em populações com doenças com características autoimunes – populações  que têm indicação de vacinação especialmente reforçada.

As recomendações para ambas as vacinas são as mesmas. No entanto, as vacinas quadrivalentes só estarão disponíveis em clínicas privadas de imunização. É importante enfatizar que os grupos de maior risco para as complicações e óbitos por influenza, com acesso à vacinação pela rede pública não devem deixar de vacinar-se, utilizando a vacina disponível pelo sistema público.

O que muda de ano para ano? Um vírus pode sofrer mutação e trazer infecções mais sérias porque não encontra uma população protegida por exposições anteriores.

Assim está constituída a vacina contra influenza 2019 que será oferecida gratuitamente pelo Programa Nacional de imunizações na rede publica de saúde:

(Em azul as cepas mudaram de 2018-2019) 

Atenção para as datas de vacinação pelo Ministério da Saúde:

  • A campanha vai até 31 de maio, mas até 18 de abril, terão prioridade crianças até 5 anos, idosos e gestantes.
  • A partir de 18 de abril, será oferecida gratuitamente aos outros grupos de risco, entre os quais pacientes de doenças crônicas e imunocomprometidos.

Em caso de dúvida, converse com seu médico.

Referências: 

Hmamouchi et al, low rate of influenza and pneumococcal vaccine coverage in rheumatoid arthritis: Data from the international COMORA cohort; Vaccine 33 (2015) 1446–1452 
https://acrabstracts.org/abstract/rates-of-influenza-vaccination-in-a-cohort-of-patients-with-rheumatoid-arthritis-and-psoriatic-arthritis/
http://portalms.saude.gov.br/component/content/article/918-saude-de-a-a- z/influenza/22873-informacoes-sobre-gripe
WHO vigilância e monitoramento: http://www.who.int/influenza/surveillance_monitoring/en/

Fonte: Site Sociedade Brasileira de Reumatologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *